Skip to content

Procol Harum – Shine On Brightly – 1968

08/03/2013

Shine On Brightly

Em setembro de 1968 o Procol Harum lançou seu segundo álbum de estúdio, o “Shine On Brightly”, mantendo suas influências barrocas e psicodélicas num álbum predominantemente progressivo. Esse álbum confirmou o sucesso atingido pela banda com o LP “Procol Harum” e foi determinante para o rock progressivo dos anos 70: o Procol Harum praticamente desenhou como seriam as suítes progressivas para o Pink Floyd, o Emerson, Lake & Palmer, Yes, e para o Supertramp (a batida de piano do Supertramp já existia em Shine On Brightly) ou seja, tudo ficou definido na faixa “In Held Twas In I”. É uma suíte de aproximadamente 17 minutos de duração – a primeira do Rock Progressivo – dividida em cinco partes e com um nome sem sentido (foram usadas as palavras iniciais de cada parte da letra da suíte para compor o nome):

In – veio de “Glimpses of Nirvana”, 1 Held – veio de “Glimpses of Nirvana”, 2 ‘Twas – veio de “‘Twas Teatime at the Circus” In – veio de “In the Autumn of My Madness” I – veio de “Look to Your Soul”

Um cover de “In Held Twas In I” foi feito em 2ooo, no álbum SMTP, da superbanda de rock progressivo Transatlantic, formada por Roine Stolt dos Flower Kings,Pete Trewavas do Marillion,Mike Portnoy do Adrenaline Mob e do Dream Theater, e Neal Morse do Spock’s Beard.

Faixas de shine On Brightly:

1 Quite Rightly So,2 Shine On Brightly,3 Skip Softly,4 Wish Me Well,5 Rambling On,6 Magdalene,7 In Held ‘Twas in I: a)Glimpses of Nirvana,b)Twas Teatime at the Circus,c)In the Autumn of My Madness,d)Look to Your Soul,e)Grand Finale

Para esse álbum a formação da banda foi:Matthew Fisher,Dave Knights,B.J. Wilson,Robin Trower,Gary Brooker,Keith Reid

Visões do Nirvana (In Held Twas In I)

Na escuridão da noite, abrandada por Visões do Nirvana, como visto através das janelas de outras pessoas, chafurdando em um atoleiro de auto-desespero feito apenas mais doloroso pelo conhecimento de que tudo o que eu sou é de minha própria autoria… Quando tudo à minha volta, mesmo o teto da cozinha, desabou sem aviso prévio, e eu, em pé, vivo, e bem, de cabeça erguida, pensando em “por que?” e por que duvidar?… Num momento como este, que existe, talvez, só para mim, mas não é menos real, se eu posso me comunicar, e no jogo de perguntas e respostas de minha alma tudo é ganho, mesmo que eu use palavras pretensiosas e faça com que você se encolha embaraçado, deixe-me lembrá-lo do peregrino que pediu uma audiência com o Dalai Lama. Foi-lhe dito que deveria passar cinco anos na contemplação. Após os cinco anos, ele foi levado a uma conferência com o Dalai Lama, que disse, bem, meu filho, o que você quer saber?, o peregrino respondeu: Eu gostaria de saber o significado da vida, pai. E o Dalai Lama sorriu e disse, bem, meu filho, a vida é como um pé de feijão, não é?

Tão  perto daquilo que alguns desprezam, que alguns chamam de falso, e mentiras alheias, E ainda quão pequeno, para um tão alto, quem seria aquele Thomas que duvidava? Está escrito simples para que todos vejam, para aquele com quem não estou mais, que são tempos difíceis, verdadeiramente terríveis.   Eles dizem que Jesus curou os doentes e ajudou os pobres e os incertos, acreditaram em seus olhos – um incomum disfarce, Ainda escrever o que deve ser lido, nada é pior do que o não dito, apenas, às vezes, sem dúvida, quando é díficil perceber, tudo acontece.

Abraços Progressivos!!!

Tupi

Procol Harum - Shine On Brightly

Anúncios

From → Procol Harum

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: