Skip to content

Procol Harum – A Salty Dog – 1969

10/03/2013

A Salty Dog Procol Harum

A Salty Dog , Em junho de 1969 o Procol Harum lançou seu terceiro álbum de estúdio, o “A Salty Dog”, uma mistura de tendências de rock progressivo, blues, hard, psicodelismo, folk e pop music. O LP era um pouco mais grosso do que o normal para um vinil, a capa de um material mais sensível à umidade, bem mole, por isso precisava de um pláastico protetor mais espesso. A capa, mostra o mar calmo encimado por uma bóia salva-vidas com o retrato de um velho lobo-do-mar no centro. A faixa Juicy John Pink chamou a minha atenção de cara – um blues rasgado, um oásis rodeado pelo oceano de rock progressivo do Procol Harum, que optou por desenvolver o álbum emtorno do tema náutico. A faixa título, “A Salty Dog”, acho que deve ser ouvida logo após a audição de A Whiter Shade Of Pale, pois parecem complementares. O álbum chegou à 44ª posição na parada de singles do Reino Unido, em 1969 e o álbum ficou em 27º nas paradas. Tanto “A Salty Dog” como “A Whiter Shade Of Pale” aparecem na trilha do filme Purple Haze de 1982, e mais uma vez, a banda Transatlantic fez um cover do Procol Harum, da faixa A Salty Dog, no álbum Special Edition of The Whirlwind.

Faixas:

1″A Salty Dog”,2″The Milk of Human Kindness”,3″Too Much Between Us”,4″The Devil Came from Kansas”,5 “Boredom”,6″Juicy John Pink”,7″Wreck of the Hesperus”,8″All This and More”,9″Crucifiction Lane”,10″Pilgrim’s Progress”

Os músicos que participaram do álbum foram:

Gary Brooker,Robin Trower,Dave Knights,Barrie Wilson,Matthew Fisher,Kellogs,Keith Reid (letras)

Um Cão Salgado (A Salty Dog)

Todos para o convés, estamos à deriva!, ouvi o capitão chorar Explore o navio, substitua o cozinheiro: não deixe ninguém sair vivo! Através dos estreitos, contornando cabos, até onde podem marinheiros voar? Uma passagem tortuosa, nosso curso torturante, e nenhum sobrevivente.

Navegamos por lugares desconhecidos pelo homem, por cemitérios de navios Nenhum pomposo pico, nem fortaleza arrojada, poderia desafiar os olhos de nosso capitão Após sete dias de náusea e mal-estar aportamos Areia branca, mar azul, um lugar calmo, o paraíso, enfim.

Disparamos o canhão, incendiamos o mastro e desembarcamos na praia O capitão chorou, nós marinheiros choramos: nossas lágrimas eram de júbilo Muitas luas e junhos passaram desde que chegamos aqui Um cão salgado, o diário deste marinheiro: por meu próprio punho.

Abraços Progressivos!!!

Tupi

Anúncios

From → Procol Harum

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: