Pular para o conteúdo

O Casamento Do Céu Com O Inferno – William Blake e as Portas Da Percepção

16/08/2013

Blake Marriage

The Marriage Of Heaven And Hell é um livro (não um poema, como muitos dizem) escrito pelo poeta inglês William Blake, entre 1790 e 1793, logo após a revolução francesa. Escrito em estilo bíblico, com poemas e textos, é uma expressão do pensamento nada convencional de Blake, ilustrado por ele e sua esposa Catherine Blake. A obra é a visão de Blake do Inferno, com influência da “Divina Comédia”, de Dante Alighieri, o “Paraíso Perdido”, de Milton, e ainda, o título é referência e crítica ao trabalho teológico de Emanuel Swedenborg. Com certeza é a obra de Blake que mais teve influência sobre os artistas contemporâneos. Traduzi, do livro The Marriage, o texto que inspirou o nome da banda The Doors, e não apenas a frase, para que o leitor e fã possa entender o contexto de onde a frase tão famosa, que é citada em vários sites na internet, foi tirada. Como estarei falando do The Doors em breve, achei interessante começar pelo poeta William Blake.

Blake Argument

Uma Memorável Fantasia – 2 (A Memorable Fancy 2)

Os Profetas Isaías e Ezequiel jantaram comigo, e perguntei a eles o que lhes trazia tanta segurança para afirmar que Deus falara com eles; e se na época não haviam sentido mêdo de estarem enganados, tornando-se motivo de imposição. Isaías respondeu: “Não vi, nem ouvi, nenhum Deus, em minha finita percepção corporal; mas meus sentidos perceberam o infinito em tudo, e eu estava persuadido, e continuo, de que a voz da honesta indignação é a voz de Deus. Não me importei com consequências, apenas escrevi.”

Então perguntei: “Estar persuadido de que algo é, faz com que algo seja?” Ele respondeu: “Todos os Poetas acreditam que sim, e nas eras da imaginação esta forte persuasão removeu montanhas; mas muitos são incapazes de se persuadir de qualquer coisa.

” Então Ezequiel disse: “A filosofia do Leste ensinou os primeiros princípios da percepção humana. Algumas nações apegaram-se a um princípio desde a origem, e algumas a outro: nós de Israel ensinamos que o Gênio Poético (como vocês o chamam agora) era o primeiro princípio e todos os outros derivavam dele, que era a causa de nosso desprezo pelos Padres e Filósofos de outros países, e  profetizávamos que todos os Deuses, enfim, originavam-se do nosso e eram tributários do Gênio Poético. Era isso que nosso grande Poeta, o Rei Davi, desejava com tanto ardor e invoca, dizendo que assim derrotou inimigos e conquistou reinos; e nós, assim, amamos tanto nosso Deus, que amaldiçoamos em nome D’Ele todas as Deidades de outras nações, e as declaramos rebeldes. Dessas opiniões veio a idéia de que todas as nações, enfim, submeteriam-se aos judeus. “Isto – disse ele – como acontece com todas as convicções, passou; mas considerando que todas as nações acreditam no código judaico e louvam seu Deus, pode haver sujeição maior?”

Ouvi isso meio maravilhado, e devo confessar minha convicção. Após o jantar pedi a Isaías que favorecesse o mundo com seus trabalhos perdidos; ele disse que nenhum de igual valor foi perdido. Ezequiel disse o mesmo. Também perguntei a Isaías o que o havia feito caminhar nú e descalço por três anos. Ele respondeu: “A mesma coisa que motivou nosso amigo Diógenes, o Grego.”

Eu, então, perguntei a Ezequiel por que ele comeu esterco, e ficou tanto tempo sobre seu lado direito e depois esquerdo. Ele respondeu: “O desejo de elevar outros homens a um nível de percepção do infinito: isto as tribos Norte Americanas praticam, e é honesto aquele que resiste ao seu gênio ou consciência apenas por uma vida fácil ou recompensas?” A antiga tradição de que o mundo será consumido pelo fogo ao final de seis mil anos é verdadeira, assim ouvi no Inferno. Pois ao querubim da espada flamejante é ordenado que deixe seu posto de guarda da Árvore da Vida; e assim que o faça, toda a criação será consumida e surgirá graça infinita onde agora existe apenas a finitude e a corrupção. Assim será para que se ultrapasse o perído de sensualidade e luxúria. Porém, a noção de que o homem possui o corpo separado da alma deve expurgar-se por primeiro; isto farei imprimindo o método infernal, com corrosivos, os quais no Inferno são salutares e medicinais, fundindo superfícies e aparências, e mostrando o infinito que estava oculto.

Se as portas da percepção fossem purificadas tudo apareceria para o homem como na realidade é, infinito.*

Mas o homem foi se fechando até que sua visão de todas as coisas reduziu-se aos estreitos limites das fendas de sua Caverna.

* no original: If the doors of perception were cleansed everything would appear to man as it is, infinite.

Próximo: https://paintboxtalks.wordpress.com/2013/08/18/the-doors-1967-palavroes-parricidio-e-incesto-um-dos-500-grandes-albuns-de-todos-os-tempos/

Veja também: https://paintboxtalks.wordpress.com/2011/08/04/a-linguagem-do-amor/

Abraços Progressivos!!!

Tupi

Blake Devils Voice

From → Book

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: