Skip to content

Spartacus 1975 Triumvirat Tradução Completa

09/07/2014

Spartacus 1

Depois de Mediterranean Tales e Illusions On A Double Dimple, o Triumvirat lançou Spartacus, seu terceiro álbum de rock progressivo. Participaram deste álbum Jürgen Fritz nos teclados, Helmut Köllen nas cordas e vocais e Hans Bathelt na bateria. Para muitos apreciadores do prog rock, este é considerado o melhor álbum da banda, e foi relançado em vários países, inclusive aqui.
Spartacus viveu de 109 a.C. até 71 a.C. e foi o gladiador trácio que liderou a revolta de escravos conhecida como Terceira Guerra Servil, ou Guerra dos Escravos ou dos Gladiadores. O exército dos rebeldes contava com aproximadamente 100 mil ex-escravos. Antes de ser escravo, Spartacus era militar romano, mas desertou e foi condenado à escravidão. Sua história é contada em livros e no cinema, e foi o conceito do terceiro álbum do Triumvirat. Música com conteúdo histórico.

Musicalmente, Spartacus é mais suave que os álbuns anteriores com o peso distribuído por todas as faixas   na conta do baixo de Helmut Köllen. Mas a partir de A Marcha Para a Cidade Eterna tudo fica bem melhor – nada chega perto de Mr. 10% – com arranjos mais dramáticos, em tons menores, e com a bateria se destacando. Naturalmente, o teclado assume todos os solos e deixa de lado os acordes de quarta e as melodias folclóricas e infantis com as quais, num ou noutro momento Jürgen salpica sua interpretação do triste destino do escravo rebelde. Entretanto, Spartacus é um trabalho bem homogêneo. A música evolui de uma faixa para outra, sempre crescendo, ou sempre avançando, como a revolta, até que o silêncio chega inesperadamente: acabou. O álbum poderia ter o dobro de músicas e talvez ainda desejássemos que fosse mais longo. É muito bom mesmo.

2 A Escola da Dôr Instantânea

a) Proclamação

Serei seu guia/
Então venha comigo e lute/
para derrubarmos as barreiras/
que nos mantêm nessa miséria/

Serei seu amigo/
Acredite, no fim/
teremos construído um mundo/
novo e melhor/

b) A Canção do Gladiador

Fui treinado para matar um homem/
com uma espada, uma lança ou com minhas mãos/
e a natureza assim me fez grande e forte/
Esta é a canção do gladiador/

Fomos trancados em jaulas como animais/
eles pagam por isso, para ver a raiva/
suas vidas são áridas e sem sentido/
então ficam excitados quando morremos/

Enfim, nossas vidas não valem nada/
braços fortes e olhos rápidos/
somos apenas um espetáculo/
nossas brigas estão à venda/

Não há chance de liberdade/
poderíamos lutar até a eternidade/
mas a morte logo chegará/
Esta é a canção do Gladiador/

c) A Diversão Romana

Esteja pronto, a próxima luta é sua, cara/
Não pense demais em si mesmo/
Na noite passada você me disse que não aguenta mais/
Não tem jeito, você vai pro inferno/

Você falou dos bons momentos de sua vida/
eles parecem se esvair rapidamente/
e quando pensou ter encontrado um amigo/
soube que a amizade não duraria/

Conheço essas pessoas da platéia/
querem que o show comece na hora/
Sem hesitação toco o sino/
É o sinal para começar/

Então segure seu punhal, e tente a sorte/
mostre sua bravura para essas pessoas/
e se conseguir voltar vivo/
a grande luta de amanhã será às três/

4 O Sonho Mortal de Liberdade

Na noite, ficamos acordados/
até vermos a névoa e a sombra da manhã/
Pois não há descanso para aqueles morrem/
A manhã saúda como o Anjo da Morte/

Tenho o sonho de que podemos mudar isso/
você só precisa de uma faísca de esperança/
e eu liderarei você na luta contra Roma/
Estaremos unidos, você não estará só/

Na noite você ouve os tambores/
a última e mais longa noite começa/
Sua adaga está afiada e em sua mente/
você sabe que dessa vez venceremos/

Vejo a face do destino mudando/
podemos jogar fora a bola e a corrente/
podemos fazer isso acontecer enquanto você acreditar/
Juntos nos ergueremos por nossa Paz/

7 O Mais Doce Som Da Liberdade

Passara um pouco das Nove/
Quando começou um novo assalto/
O sangue jorrava/

Na escola de gladiadores/
Tudo era perfeito, tudo era bom/
A fé estava ao redor/

Quando chegaram as notícias/
A Liberdade é um som doce/
De se ouvir/

E o herói de todos eles/
Spartacus! você os ouve gritar/
Para onde devemos ir?

Fácil é sonhar com a Liberdade/
Mas você tem de lutar e vencer, nunca perder/

Das colinas e florestas próximas/
homens e mulheres vêm juntar-se às tropas/
sem medo/

E o herói de todos eles/
Spartacus! você os ouve gritar/
Para onde estamos indo?/

Quando os soldados romanos vierem/
estaremos logo em nosso caminho/
o céu sabe/

Fácil é sonhar com a Liberdade/
Mas você tem de lutar e vencer, nunca perder/

Construir um novo mundo sem ódio/
E boas pessoas com suas próprias regras/

8 A Marcha Para a Cidade Eterna

a) Estrada Empoeirada

Marchando pela estrada empoeirada/
Eles estão a caminho de Roma/
Incontáveis escravos indo à guerra/
e não lutam sozinhos/

Em seu caminho seguro/
Levam lanças e arpões/
O desespero sumiu/
e a vitória está próxima/

No mar de sangue e ossos/
As areias do tempo permanecem/
Morrendo na estrada suja/
Spartacus veio para matar/

b) O Primeiro Sucesso

Em seu caminho seguro/
Eles levam lanças e arpões/
O desespero sumiu/
a vitória está próxima/

9 Spartacus

Parte Um
A Força Romana Superior

O dia se foi/
O céu está vermelho/
O brilho sangrento e falso da paz/

Apenas uma parada/
Os guerreiros precisam/
Amanhã haverá mais/

Logo começa a última dança/
com o primeiro sol matinal/

Pense no amanhã/
O fardo de ontem/
quase esquecido/
num canto de sua mente/

O Paraíso está sobre você/
Uma coberta de estrelas/
Você sonha na escuridão/
Do amanhã/

Parte Dois

Céu Azul O Sol brilha alto/
No campo de Batalha você os Vê morrer/

Lutando bravamente Nunca mostrando fraqueza/
não há piedade nesta poeira, neste calor/

Spartacus permaneces, a espada em suas mãos/
um círculo de sangue ao seu redor/
lutando duramente por um recomeço/

Ele é como uma rocha/
nas vagas do oceano/
ninguém se aproxima/

De repente os soldados entendem/
Que precisam de mais homens para sobreviver a esse embate/

Você os vê confusos chocando-se em retirada/
perderam agora, mas voltarão algum dia/

Spartacus sabe, embora tenha vencido/
perdeu muitos homens também/
não há chance para ele nem para seus amigos/
em uma nova luta pela liberdade/
Nunca serão livres/

Milhares de rostos sem esperança e sem lar/
Que tipo de morte Roma lhes proporcionará?

Crucificação da comida dos leões/
vítimas humanas de uma Era tão cruel/

Glória e Prosperidade, Poder de Roma/
erguido sobre os ombros de milhões de escravos/
Spartacus sabe que embora tenha chegado perto/
A chance está perdida/
Tudo foi em vão/
Haverão mais sangue e dor./

Álbum Anterior:

https://paintboxtalks.wordpress.com/2014/06/21/illusions-on-a-double-dimple-triumvirat-1974-traducao-completa/

Abraços Progressivos!!!

Tupi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: